Jovem é assassinada e namorado é o suspeito.

Jovem é assassinada e namorado é o suspeito.
karoline

Vanessa Tito Poquiviqui Ramos, de 21 anos, estava com dois cortes no rosto e hematomas no peito. Namorado da vítima tinha sido solto em dezembro após passar três meses preso por agredir a ex.

Uma jovem de 21 anos foi assassinada nesta quarta-feira (31), dentro de casa, no Bairro Três Barras, em Cuiabá. O principal suspeito da morte de Vanessa Tito Poquiviqui Ramos é o namorado dela, Maycon Júnior da Silva Dantas, de 30 anos. A reportagem ainda não localizou a defesa do suspeito.

De acordo com a Polícia Civil, havia dois cortes no rosto da vítima, além de hematomas no peito. A causa da morte ainda não foi divulgada.

O suspeito do crime não foi preso, conforme a polícia. O crime está sendo investigado como feminicídio.

Maycon responde a processo por violência doméstica e está sendo monitorado com tornozeleira eletrônica.

Ele tinha sido preso em outubro no ano passado, acusado de agressão a ex-namorada dele, e foi solto, em liberdade condicional. Além de usar tornozeleira, ele teve que cumprir pena alternativa por três meses, com serviços prestados à Associação Espírita Wantuil de Freitas, na capital.

“Determino medidas cautelares diversas da prisão, especialmente o monitoramento eletrônico através da colocação de tornozeleira no acusado, bem como da entrega de botão do pânico para a vítima, ficando determinado a proibição do acusado de se aproximar da ofendida a uma distância de 500 metros, além da obrigação de realizar o carregamento da bateria por no mínimo 3 horas por dia. Fixo o prazo de 3 meses para o monitoramento eletrônico, sendo que após o citado prazo a medida cautelar será automaticamente revogada, desde que não ocorra descumprimento da medida”, diz a decisão do juiz Jamilson Haddad Campos, da Segunda Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, do dia 18 de dezembro.

Ainda não informações sobre a motivação do assassinato. O crime está sendo investigado pela delegada Alana Cardoso, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Mulheres mortas

Em 2017, segundo a Polícia Civil, 22 mulheres foram mortas em Cuiabá e Várzea Grande, região metropolitana da capital, sendo que sete desses casos foram considerados feminicídio.

Informações de G1